RePública Em Ação

Debatendo temas sobre Relações Públicas

Crises são mesmo evitáveis e administráveis?

O tema do 1º Fórum de Relações Públicas da Amazônia tratou do tema “Gerenciamento de Crises: Evitáveis e Administráveis”. O evento foi promovido pela Delegacia Pará do CONRERP 6ª Região, com o apoio institucional do IESAM no último dia 23/02.

É inegável que o assunto é muito estimulante, são tantas as ferramentas que podem ser usadas para amenizar uma crise no mundo corporativo, que de fato muitos outros debates precisam ser feitos para que esgotemos essa abordagem, se é que ela tem o propósito de ser finalizada. Por outro lado, é fácil perceber que tanto profissionais e empresas não sabem realmente como agir diante de um conflito que envolva a imagem de uma empresa.

Roberto de Castro Neves, em seu livro Crises Empresariais com a Opinião Pública, diz; “… mais dia, menos dia, toda organização vai passar por uma crise dessa natureza. Grande ou pequena, simples ou complexa, com sequelas ou não”. E completa “Mas a boa notícia é que as CEOPs (crises empresariais com a opinião pública), na sua maioria podem ser evitadas. E quando isso não for possível, em acontecendo, elas podem ser administradas de forma a reduzir os seus estragos”.

Administradas, até podem ser, como de fato precisam ser, mas evitadas, não creio que podemos, pois todos estão expostos diante das novas mídias, twitter, facebook e outros, isso nos coloca numa linha de frente impossível de se esconder, logo ficamos sujeitos a qualquer bombardeio e a um passo de nos depararmos com uma crise.

Como o próprio Roberto disse, a maioria das crises podem ser evitadas, mas não todas. Algumas coisas são lógicas, como manter-se sempre ao lado da verdade, da ética, da qualidade e da transparência. Mas acontece que os boatos, as informações infundadas e a maldade humana podem nos colocar num furacão não previsto. É neste momento que devemos nos manter calmos para saber lidar com as tempestades. E cada vento sopra diferente em cada situação e devemos está atentos as previsões meteorológicas para prepararmos o guarda-chuva, ou o guarda-sol.

Assim sendo, não há fórmulas para resolver uma crise, temos que vivê-las para aprender. Mas um manual de condutas sim, pode ser desenvolvido por cada pessoa ou empresa, prevendo todas as possibilidades que podem dar errado em seus negócios, isso é obrigação, pois cada um sabe o que pode não sair como o planejado, como por exemplo: uma falha na produção de um produto, a saída de um colaborador insatisfeito, uma reclamação de um cliente, a instabilidade econômica, o mercado concorrente, entre outras peculiaridades.

Um manual de gerenciamento de crises deve ser uma bíblia para cada empresa ou pessoa física que está exposto no mercado. E cada manual é único, que pode servir de base para um seguimento, mas nunca será seguido da mesma forma para todos, já que cada contexto é um contexto diferente.

Luciana Hage

Relações Públicas/ Conrerp-1021

Anúncios

28 de fevereiro de 2011 - Posted by | Uncategorized

5 Comentários »

  1. Minha cara Luciana. Você reproduziu corretamente o que penso a respeito. E parabéns pelo blog: bem arrumadinho, instigante e com valor. Abração. Roberto

    Comentário por Roberto de Castro Neves | 28 de fevereiro de 2011 | Responder

    • Professor, é uma honra para mim receber um comentário seu para este simples e despretensioso texto. Quando pensamos no Fórum de RP, seus livros nos serviram de embasamento para os questionamentos aos debatedores. Muito obrigada pela sua valorosa contribuição a nossa atividade. Um grande abraço.

      Comentário por republicaemacao | 28 de fevereiro de 2011 | Responder

  2. Estive presente no evento e concordo com a minha colega Luciana onde ela diz que toda empresa está sim passível de vivenciar uma crise. Se são evitáveis, não consigo visualizar até que ponto, visto a composição de vários fatores, principalmente humano. Ouvidos todos os excelentes profissionais, que ali foram dividir suas experiências e conhecimentos, percebi o quanto realmente é fácil prevê uma crise, já que na maioria das vezes, o quebra-cabeça vai ser formando a sua frente, visualizando a falta de um encaixe, mas que muitas vezes tentamos e não conseguimos evitar. Parabéns Luciana, pela brilhante “sacada” em reunir os profissionais de relações públicas, para juntos tentarmos alavancar nossa profissão e a colocarmos num patamar confortável dentro daquilo que se propõe.

    Marina Fonseca

    Comentário por marina fonseca | 28 de fevereiro de 2011 | Responder

    • Obrigada a você, minha amiga, pela sua participação no evento e por acreditar, assim como eu, que somente juntos teremos força. O 2º Fórum já está na porta e vamos nos encontrar novamente. Um abração.

      Comentário por republicaemacao | 28 de fevereiro de 2011 | Responder

  3. Participei deste evento, “Gerenciamento de Crises: Evitáveis e Administráveis”, como aluno de RP do IESAM no qual tive a oportunidade de me manifestar.Gostaria de dizer que também li o livro de Castro Neves, “Crises Empresariais com a Opinião Pública” e é, portanto, uma referência que deveria ser leitura obrigatória para os estudantes de RP. Meu questionamento foi formulado sobre o relacionamento com os públicos internos em relação às crises cujas respostas dos debatedores me ampliaram o campo de conhcimento.
    Parabens.

    Sinderlei Serra

    Comentário por Sinderlei Serra | 4 de março de 2011 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: